Gueixa

5 Comentários »
Estrategicamente perfeita
Um dedilhar de shaminsen
Em cada olhar a espreita
A calma angustiante que tem

Sei que dentro de você
Esconde todos os segredos
Seu mundo é demasiadamente frágil
E seus lábios demasiadamente mudos

Sob um árduo treinamento
Pesa-lhe a doçura
Num instante tão tranqüila
Sobe ao palco na interna tortura

Tamancos pesados
Na mente um pesar
As máscaras não mais cabem
Treinada para não sonhar

Podes ser livre
Com certa restrição
O amor não lhe é possível
Erro sem margem de perdão

Tão triste sua tragetória
Com sorriso no rosto a estampar
De você eu tenho pena
Que só serve pra se olhar

5 Responses to "Gueixa"

Maria Says :
6 de julho de 2008 14:41

Muito bom poema, me interessei bastante pois tenho um afeto pela beleza e a cultura adocidada das gueixas, mas você me mostrou o outro ponto das gueixas que nunca havia visto.

Matheus Says :
6 de julho de 2008 19:15 Este comentário foi removido pelo autor.
Thaco Morat Says :
7 de julho de 2008 00:20

poesia muito bem escrita.
O modo como você escreve vai além da noção de palavra, passa a ser algo mais interno, sentimental. Talvez um bom leitor saiba explicar melhor do que eu.

Mahatma Naiads Says :
14 de julho de 2008 10:02

Poema muito belo!
Nossa, inferninho, não sabia desta sua habilidade!
Você escreve realmente muito bem, consegue passar os sentimentos poéticos de forma sublime e utilizando palavras que atingem uma profundidade emocional muito grande...
Parabéns!

L. Hobbit Says :
16 de julho de 2008 13:46

Adorei!

Como sempre do inferninho saem belas poesias.

Interessante como você descreve a gueixa de uma forma bem intima podemos dizer.

Continue assim.

L. Hobbit

Postar um comentário