A vida como ela é ou como a vemos? -- Parte II

3 Comentários »
(continuação)
E a vida, o que significa para nós?
Heráclico, filósofo grego, defendia que diante ao lado "mau", não daríamos valor ao lado "bom", ou seja, sem a perspectiva da morte, não celebraríamos a vida, ou não a teríamos como o bem mais precioso. É como um idoso ou um doente, vendo a senhora Morte se curvar sobre seu leito, se lamentar pela vida que teve ou por aquela que não teve, e assim, se possível, tentar fazer seus últimos momentos serem coisas significativas e que valham pelos outros "não vividos". Dessa forma, devemos fazer da morte um instrumento de aprendizagem e de recomeço, e não fazer da mesma um instrumento para o caos, destruição e esquecimento dos seus opostos. Ela deve fazer com que preservemos, de verdade, a vida, mas não só à vista do término, e sim sob um processo longo e aproveitado ao longo da vida.
.
Vida. Parece estranho usarmos uma palavra tão curta para expressarmos tudo que somos. Será que nossa existência pode ser tão insignificante ou tão comedida que pode ser representada por 4 letras, tanto em Português e Inglês ou então por 3 letras como em Francês?
.
Mas é importante frisar que somos nós quem fazemos de nossas vidas importantes e significantes. Nós quem somos os responsáveis pelas coisas que nos acontecem e temos o poder de fazer acontecer e de mudar. Entretanto, devemos tocar nossas vidas de um jeito responsável e consciente porque, além de termos o poder sobre nossas vidas, nossas ações produzem reflexos na vida de cada uma das pessoas ao nosso redor. É preciso que pensemos em nós, mas sem nos aforgarmos em egoísmo e arrogância porque nós nos fazemos importantes, e não só para nós mesmos, mas para todos aqueles que conseguem perceber essa importância. Então, dê à essas pessoas o que é precisa para elas perceberem que você sentiu o mesmo, essa "aura" de importância que emana apenas daquelas pessoas que fazem diferença em nossas vidas.

Abraço.

3 Responses to "A vida como ela é ou como a vemos? -- Parte II"

g.winme Says :
17 de julho de 2008 16:20

Esta série está muito boa! Sim, influenciamos quem está ao nosso redor, por isso devemos ter muito cuidado (ou não) com nossa postura, mas sem ser falso perante à sociedade.

Livre Pub Says :
17 de julho de 2008 21:24

a gente nasce e já começa a morrer. o contráio de morte é nascimento, vida é o pequeno intervalo entre os dois q a gente tem q se apressar pra fazer tudo q der tempo.

Mahzinha Says :
20 de julho de 2008 13:48

O pouco espaço, o inesperado, o ruim, o bom, tudo isso é o que dá a vida aquele sabor... único!

Postar um comentário