O Choro de Alegria, o Choro de Tristeza e a Apatia

6 Comentários »
Nesta semifinal de Olimpíadas, o futebol masculino (apenas o masculino) do Brasil se apequenou de novo. O pseudo-técnico Dunga entrou com um time covarde, disposto a empatar, que não saiu para o ataque nem quando estava perdendo o jogo. O jogo de hoje, aliás, lembrou muito a partida contra a França na Copa de 2006, pela apatia dos jogadores. A impressão que deu é que tudo que se fala sobre a importância das olimpíadas, ou da importância de ser brasileiro não serve para os jogadores da seleção. É constrangedor ver que Ronaldinho Gaúcho, o craque que nunca jogou bem pela seleção praticamente não se abateu com a derrota. Afinal, ele e todos os outros ganham milhões por ano. O que vai importar se a medalha é de ouro ou bronze, ou não vem?

E é triste ver que esses jogadores têm mais espaço na mídia que César Cielo e Diego Hipólito, por exemplo. Eles, que foram os protagonistas da delegação brasileira nessas Olimpíadas até agora.

Diego, ao ver que perdeu o ouro e qualquer chance de medalha, se emocionou, chorou e se desculpou com o povo brasileiro. Ele, inclusive, demorou 2 dias para falar com a imprensa, já que estava muito abalado. Diego é um atleta que tem aquele amor à camisa tão falado por Galvão Bueno. E, por isso, tem a solidariedade do povo brasileiro.

César Cielo também mostrou amor à camisa, também chorou, mas foi um choro bem melhor de ver, pois foi um choro de orgulho. Foi arrepiante ver que ele não conseguia cantar o hino por estar muito emocionado. E, depois lembrar-se de jogadores da seleção que não sabem nem cantar o hino...
Cielo também foi acolhido pelo povo brasileiro, como mostra o número de pessoas que foram vê-lo e apoiá-lo no desfile em carro aberto por São Paulo, hoje.


P.S.: Para terminar, como pode a vara de uma atleta candidata a medalha sumir? Como pode acontecer isso no maior evento do esporte em todo o mundo? Não seriam as Olimpíadas mais organizadas da história? De que adianta colocar 2008 tambores num estádio, ou saber esconder bem a tocha na cerimônia de abertura se o instrumento de trabalho dos atletas também some? Acho que nem em campeonatos da terceira divisão do Brasil, onde a desordem reina, iniciar-se-ia uma partida sem a bola. Muito estranho...

6 Responses to "O Choro de Alegria, o Choro de Tristeza e a Apatia"

Livre Pub Says :
20 de agosto de 2008 11:16

não confunda o cu com as calças. Diego Hipólito não devia desculpas a ninguém. Ele não representa nação nenhuma. Acho triste você, um cara tão inteligente, entrar no jogo midiático de que "esportistas nos representam". O efeito prático de uma vitória nas olímpiadas em um país é quase nulo. E o se o Ronaldinho ficou apático o problema é dele. Torcemos para nossos compatriotas, mas eles não nos representam.Eles representam eles mesmos.

Mahzinha Says :
20 de agosto de 2008 12:02

Concordo com livrepub, eles representam eles mesmos, porém suas marcas também. Porque esporte já tá virando meio de marketing.

L. Hobbit Says :
20 de agosto de 2008 20:22

Os atletas estão mais interessados no seu ganho pessoal, mas acredito que eles representam sim a sua nação, se não um evento como as olimpíadas não seria dividido por países e os atletas não vestiriam as cores de seu país e aconteceria como os campeonatos mundiais em que eles vestem as marcas de seus patrocinadores.
Eventos como as olimpíadas dão uma chance de nos sentirmos bem (ou não) e de sermos vencedores mesmo que nossa vida não dependa nem mude por conta disso.

Thaco Morat Says :
20 de agosto de 2008 20:44

O que não consigo entender, é todos criticarem tanto essa alienação, se praticamente tudo pode ser classificado como alienação.
Uma revista em quadrinhos, algumas músicas.
Sinceramente, cansa ler sempre sobre, "atletas não representam o Brasil", "chega de alienação"... não sei bem, ainda é um assunto a ser refletido, mas se está tão preocupado com a alienação, porque você não está nas ruas tentando mudar? ou você desistiu?
Afinal, se desistiu, não critique.

g.winme Says :
20 de agosto de 2008 20:45

Se os atletas não representassem a nação, o EUA não treinaria atletas como treina astronautas, e a China não buscaria tanto incentivar os seus atletas. Os atletas representam sim seus países, mas a Olimpíada virou muito mais um jogo político do que qualquer outra coisa.

inferninho Says :
21 de agosto de 2008 11:50

eu concordo com o Sal.

Postar um comentário